VIII ASSEMBLEIA GERAL DA HUTURARA 2016

Índios fazem manifestação em Boa Vista

diamundialpovosind.jpeg

Mozarildo Yanomami, tesoureiro da Hutukara na manifestação do dia mundial dos povos indígenas, na frente da Assembléia Legislativa do Estado de Roraima. Foto e Crédito de: Carlo Zacquini.

FBV: Índios fazem manifestação para cobrar direitos e comemorar data em Boa Vista

FBV: Índios fazem manifestação em Boa Vista

Professores indígenas protestam contra as condições das escolas.
Entidades divulgam manifesto contra duas portarias da AGU.


Por: OZIELI FERREIRA

Disponível em: http://www.folhabv.com.br/Noticia_Impressa.php?id=134146

dpi

Para marcar o Dia Internacional dos Povos Indígenas, comemorado no dia 9 de agosto, as organizações indígenas de Roraima fizeram uma manifestação, na manhã de ontem, com concentração em pontos diferentes da cidade. A primeira parada foi em frente à Assembleia Legislativa do Estado (ALE), depois Palácio do Governo, Ministério Público Federal e, por último, na Advocacia-Geral da União (AGU).

Conforme Mário Nicácio Wapichana, coordenador-geral do Conselho Indígena de Roraima (CIR), os motivos da manifestação foram dois: primeiro, comemorar a data reconhecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) e, o segundo, protestar contra violações dos direitos indígenas.


“Viemos solicitar a revogação imediata da Portaria 303/2012 da Advocacia-Geral da União e outros decretos como a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 215 que ferem diretamente nossos direitos como Povos Indígenas”, disse.

A chuva não atrapalhou o percurso das quase 700 pessoas que carregavam cartazes com frases de protestos. Havia representantes das dez etnias existentes no Estado. A Marcha dos Povos indígenas vai resultar num documento contendo as reivindicações dos indígenas que será entregue para as autoridades do governo.

Para o indígena Elizeu Xirixana, o protesto reforça a luta dos Povos Indígenas. Pois há 40 anos buscamos melhorias na saúde, educação e políticas públicas que beneficie a todos.

Para dar força à Marcha foram convidados membros dos sindicatos dos trabalhadores urbanos e rurais, da Central Única dos Trabalhadores (CUT), da Seção Sindical dos Docentes de Universidade Federal de Roraima (Sesduf) e outros sindicatos.


Professores indígenas protestam contra as condições das escolas

dpi2

Apesar da chuva, centenas de indígenas de várias regiões participaram do movimento

O coordenador das Organizações dos Professores Indígenas de Roraima (OPIR), Telmo Ribeiro, foi um dos participantes da mobilização. Ele destacou que uma das vertentes das reivindicações é em relação à saúde e educação indígena, pois as escolas se encontram em situações precárias.

“Nossos direitos devem ser respeitados não só como indígenas, mas como seres humanos. Acreditamos que os filhos dos deputados e do governador não estudam em escolas públicas, portanto não sabem o caos que está a educação em Roraima. Da mesma forma está a saúde, bem diferente do que é mostrado nas propagandas. Estamos aqui colocando a realidade da saúde e da educação”, disse.

Ele informou que foi solicitado reforma nas escolas, mas não foram atendidos. Os alunos, muitas vezes, são obrigados a interromper as aulas por conta das goteiras nos tetos das escolas.

“Os alunos estudam em igrejas, malocões e até debaixo de mangueira. Temos lugares sem acesso porque as pontes caíram. Não adianta ter transporte se não existem estradas. Queremos que o governo analise isso e nos dê respostas”, ressaltou.