VIII ASSEMBLEIA GERAL DA HUTURARA 2016

Surgimento Problemática na Terra Indígena Yanomami

O limite leste da Terra Indígena Yanomami começou a ser invadido na década de 70 com a construção de um trecho da estrada perimetral norte (1973-76) e com programas de colonização pública (1978-79). Desde então fazendeiros se instalaram dentro da TIY com títulos expedidos pelo INCRA, sendo que alguns deles continuam lá até os dias de hoje, mesmo já tendo perdido os direitos sobre aquelas terras em todas as instâncias jurídicas. Além disso, os projetos de colonização implementados nas décadas de 1970 e 1980 no leste e sudeste das terras yanomami criaram uma frente de povoamento que tende a expandir-se para dentro da área indígena (regiões de Ajarani, Apiaú e Baixo Mucajaí) devido ao fluxo migratório direcionado para Roraima - tendência que poderá ser ampliada no futuro próximo em conseqüência do apagamento dos limites da demarcação por um mega-incêndio que atingiu Roraima no começo de 1998. Com relação ao garimpo, em fins da década de 80 e início de 90 o limite leste foi amplamente invadido por garimpeiros, tanto a pé quanto de barco e avião. Embora a intensidade dessa corrida do ouro tenha diminuído muito a partir do começo dos anos 1990, até hoje núcleos de garimpagem continuam encravados na terra yanomami, de onde seguem espalhando violência e graves problemas sanitários e sociais, sendo que o acesso a muitos desses núcleos se dá por terra ou rio partindo-se do limite leste da TIY. Neste ano a invasão garimpeira tomou novo ímpeto e estima-se que já cheguem a 3 mil o número de garimpeiros.